5 dicas da ciência para uma vida Saudável e Longa

5 dicas da ciência para uma vida Saudável e Longa

brocolis

A especialização em gerontologia social de Carr significa que ela presta especial atenção para a ideia de “envelhecimento bem-sucedido”, ou as maneiras como as pessoas podem continuar a levar uma vida emocionalmente satisfatória à medida em que envelhecem.

Carr, que anteriormente realizou pesquisas no Centro sobre Longevidade da Universidade Stanford, nos EUA, já publicou extensivamente sobre o tema. “O que eu estou tentando entender é o que podemos fazer para manter o desempenho cognitivo e a saúde por tanto tempo quanto possível”, disse a cientista ao portal Medical Xpress.

Logo, entre as várias coisas que você pode fazer, estão:

1. Obter um diploma universitário

Não existe variável mais importante na fórmula do envelhecimento bem-sucedido do que a educação. A pesquisa tem demonstrado repetidamente o valor indispensável de experiências educacionais significativas e, especialmente, de obter um diploma universitário.

“A educação tem sido o maior preditor de resultados bons de envelhecimento”, disse Carr. “É difícil para mim imaginar que a educação não seria benéfica para a saúde e bem-estar”.

2. Comer de forma saudável

Comer bem pode ter efeitos significativos e mensuráveis sobre o envelhecimento. É importante encontrar uma dieta saudável que funciona para o seu estilo de vida.

“Há um monte de dietas que funcionam bem, mas nenhuma envolve comer uma tonelada de fast food”, explica Carr. “É importante usar a nutrição de uma forma que não leve a resultados ruins como doenças cardíacas e diabetes, mas isso pode variar de pessoa para pessoa”.

3. Praticar exercícios físicos
Não há nenhum substituto para uma rotina de exercícios físicos consistente.

“O exercício é crucial a longo prazo”, argumenta a cientista. “Você pode começar a qualquer momento em toda a sua vida, mas é importante continuar por tanto tempo quanto possível. O exercício físico parece ser uma das poucas coisas que, para a pessoa média, mantém o desempenho cognitivo mais tarde na vida”.

4. Ficar conectado socialmente

A qualidade da conexão social é um dos indicadores mais confiáveis de bem-estar em indivíduos mais velhos. Isto é particularmente importante para homens, que tendem a ter mais dificuldade em forjar relações significativas à medida em que envelhecem.

“Conexão social é a coisa a que as pessoas provavelmente prestam menos atenção”, disse Carr. “Manter envolvimentos significativos com outras pessoas através da duração de sua vida é crucial, e os homens não são tão bons nisso, o que é um problema. Por exemplo, a pesquisa mostra que homens mais velhos que são casados tendem a se sair melhor do que aqueles que não são, por isso sabemos que há algo importante em ter ligações estreitas mais tarde na vida. Porém, é difícil ter alguém próximo mais tarde na vida se você nunca passou tempo cultivando relacionamentos significativos com os outros”.

Carr recomenda participar de grupos comunitários como forma de garantir conexões constantes à medida que envelhecemos. “Incorporar-se a organizações formais, como igrejas, programas de voluntariado ou clubes pode ser uma ótima maneira de cultivar relações”, sugere.

5. Se planejar financeiramente

Nunca é cedo demais para começar a fazer arranjos financeiros para a terceira idade. Embora as estruturas de desigualdade econômica muitas vezes tornem difícil para alguns se planejar a longo prazo, a coisa mais prudente a se fazer é considerar coisas como poupança e aposentadoria.

“Ser pobre mais tarde na vida não é bom para a sua saúde”, disse Carr. “Muitas pessoas não têm controle sobre isso, mas uma coisa que sabemos ser verdade é que, se você tem uma renda suficiente, isso é muito crítico para obter bons resultados na velhice. Há muita coisa contra você se você não tiver o dinheiro para manter o seu bem-estar ao longo do tempo”. fonte

setas-para-baiixo

VEJA TAMBÉM >>>

Foto de perfil de Geraldo Souza

Sou Economista. Consultor de Produtos Tratamentos Cosméticos.

Deixe uma resposta